ONU: 2021 ANO INTERNACIONAL DAS FRUTAS E VEGETAIS

O ano de 2021 foi eleito o Ano Internacional das Frutas e Vegetais pela UNESCO, com o objetivo de aumentar a consciência dos consumidores sobre a importância da alimentação para a saúde e para a economia. O atelier da Scuola dell’Infanzia (Educação Infantil) da Eugenio Montale é um espaço de investigação e pesquisa, no qual as ideias tomam forma e o ato criativo é estimulado por meio de diferentes linguagens.

Pedagogia da Escuta

Desde o início do ano, os alunos da Sezione A têm manifestado grande interesse por tudo aquilo que os aproxima da natureza: os vários tipos de insetos, as plantas, o ciclo de vida dos vegetais, as árvores que balançam ao vento, a  temperatura da terra. Foi a partir da identificação desse interesse comum que nós pensamos em atividades que pudessem, além de permitir o contato e o diálogo com a natureza, gerar bons questionamentos para investigações futuras.

O ponto de partida foi o círculo cromático, um material entregue a cada criança na época em que ficamos em isolamento. Na brincadeira de encontrar elementos naturais que combinassem com cada uma das tonalidades do círculo, decidimos que poderíamos nos dedicar por mais tempo a cada uma daquelas cores.

Pluralidade

No processo investigativo de como cada cor se manifesta na natureza, ficou evidente a diversidade das espécies que existem em nosso planeta. Descobrimos, por exemplo, a lucertola della sabbia, um lagarto rosa que «vive muito longe, maestra», ou peixe vermelho chamado pesce combattente, mas que para o nosso aluno Luca Baiocchi «poderia se chamar peixe-flor. Acho melhor!». Descobrimos ainda que existem muitas espécies de frutas e vegetais: «o kiwi é marrom por fora» (Raffaella), «o caqui chocolate é marrom por dentro» (L. Baiocchi), «a pitaya é fúcsia» (Maria Eduarda).

Senso estético e criatividade

A investigação se estendeu nas aulas do ateliê, nas quais diferentes linguagens foram exploradas.

Responsabilidade social e sustentável

Durante todo o percurso as crianças se engajaram nas propostas que ofereciam contato e respeito com a natureza. Aprenderam a meditar observando a copa das árvores, ouvindo os sons das folhas ao vento e sentindo a brisa nos espaços do jardim.

Cidadania Global

Os alunos após terem desenhado e ouvido uma história sobre o ciclo do rabanete comentaram: «Eu quero fazer uma horta com rabanete, tomate e cenoura também» (Aurora). «Precisamos plantar as sementes. Eu vou ler as instruções de como se planta» (Matteo). «Eu vou fazer a lista do que precisamos para plantar: água, chuva, terra» (Antonella).

Conhecimento

Ao longo do projeto as crianças perceberam que, na etapa do plantio, era possível iniciar com o cultivo das sementes ou de mudas dos vegetais.

Valorização dos saberes

Em outro momento um dos alunos mostrou ao grupo uma melancia amarela que gerou espanto e curiosidade nos demais. Iniciava ali um processo de exploração das frutas, dos vegetais e de outros elementos naturais pouco conhecidos. Cada um tinha sua ideia de investigação. Como se cultivam os alimentos, por exemplo: «Eu sei plantar, maestra. Eu planto com a minha tia» (Raffaella). «Maestra, eu quero muito plantar rabanete» (Giovanni). «Eu quero cuidar da minha batata-doce. Ela tem raízes e já tem folhas. Eu estou vendo ela crescer» (Lucca Zauner). Ou os sabores e sensações que provocam: «Eu quero até comer esse rabanete. Acho que ele é doce» (Giovanni). 

Texto de:

Fabiana Mirella
Professora da Escola da Infância – Eugenio Montale

Marcella Olivati
Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil e do Ensino Fundamental – Eugenio Montale

Texto retirado da revista Il Girasole – 1º Semestre 2021

Tour 360 Fazer Tour 360º